Arquivo para categoria LITURGIA

“O CRISTIANISMO DOS SINAIS..

6ª SEMANA  DO TEMPO COMUM SEGUNDA FEIRA 12.02.2012
1ª Leitura – Tiago 1, 1-11
Salmo – Sl 118 (119) , 77a Evangelho – Mc 8, 11 – 13
“O CRISTIANISMO DOS SINAIS..

Nos dias de hoje se vive muito um Cristianismo bem a moda “Farisaica”. Assistindo os “testemunhos” de pessoas que migram para as novas igrejas da linha pentecostalista, todas sem exceção iniciaram sua caminhada com Jesus naquela denominação, porque receberam um grandioso milagre, coisa que em outras denominações cristãs não conseguiram, então agora se sentem realizadas e felizes porque enfim encontraram o verdadeiro caminho… O Jesus criado de maneira estratégica pelos especialistas nesse marketing religioso, atende as necessidades dos “clientes”, é o Cristo do consumismo, da concorrência, e quem tiver o melhor Jesus terá como recompensa a casa cheia e o Ibope garantido nas telas da TV. Não há problema que fique sem solução com esse Jesus dos espertalhões, quando há falha, o fiel é culpado porque faltou-lhe Fé, e quando a urucubaca é demais, entra em cena o diabo, que precisa urgente ser expulso para que o fiel possa ser libertado…Mas até aí a concorrência é braba, pois só aquela entidade religiosa e aquele determinado Fulano tem a fórmula infalível para botar o diabo prá correr…. Este não é o caso das Igrejas Históricas que tem raíz e tradição, estas preservam o valor da FÉ e do testemunho cristão autêntico. Os fariseus exigem de Jesus um sinal estrondoso que confirme o seu messinaismo. A Pessoa de Jesus, o que ele pensa e fala, suas atitudes de comproimetimento com as pessoas, tudo isso não têm para o Farisaísmo a menor importância, o que importa mesmo é o milagre, pois só este irá convencê-los a ser também seguidores com os demais… Mas o termo discípulo seguidor, nesse caso é uma grande piada, ao quererem serem convencidos pelos sinais prodigiosos, eles querem se tornar clientes que precisam ser atendidos em todas as suas necessidades físicas, morais, psíquicas, afetivas e materiais. Não é por acaso exatamente esse o Jesus que inventaram na pós modernidade? Atitudes assim continuam fazendo  Jesus suspirar profundamente em seu coração.

Diácono José da Cruz Paróquia Nossa Sra. Consolata – Votorantim E-mail  cruzsm@uol.com.br
Anúncios

Deixe um comentário

SANTÍSSIMA TRINDADE


“A GRAÇA DO SENHOR JESUS CRISTO, O AMOR DO PAI E A COMUNHÃO DO ESPÍRITO SANTO ESTEJAM COM TODOS VÓS”

(2Cor 13,13)

Olá, amigo Sentinela da Manhã! Neste Domingo, uma pergunta está me martelando os ouvidos! E espero que martele nos seus também:

Terá alguém experimentado um amor maior do que o de nosso Deus? Na verdade, a Solenidade de Hoje nos convida a olhar para trás e a perceber o amor de um deus Deus que nos salva! Hoje não é dia de quebrar a cuca pra tentar entender como Três Pessoas são Um só Deus! Hoje você e eu somos convidados a experimentar o abraço de um Deus que não cabe na caixola humana!!! Somos chamados a olhar desde o mistério do Natal – espera e realização da Encarnação; desde o anúncio e realização do Reino em Jesus; desde o arrependimento, penitência e reconciliação quaresmal; desde a Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor; desde sua manifestação como Ressuscitado em nosso meio; desde o envio do Espírito Santo como plenitude dos dons pascais. Somos convidados a nos perguntar:

Terá alguém experimentado um amor maior do que este que nós experimentamos?

 

“Terá jamais algum Deus vindo escolher para si um povo entre as nações, por meio de provações, de sinais e prodígios, por meio de combates, com mão forte e braço estendido, e por meio de grandes terrores, como tudo o que por ti o Senhor vosso Deus fez diante de teus próprios olhos?” (Dt 4,34).

Em nosso bate-papo semanal, eu convido você, amigo jovem, a sentir como nosso Deus nos abarca em seu amor e nos cerca de carinho, num abraço que vale por três: na pessoa do Pai Ele nos cria, conduz e sustenta; na pessoa do Filho Ele se faz um de nós, assume nossa natureza, nos salva pela cruz e ressurreição; na pessoa do Espírito Ele nos congrega na Igreja, nos faz filhos adotivos do Pai de amor e misericórdia.

Terá alguém experimentado um amor maior do que este?

 

Ninguém pode nos amar com um amor maior do que o nosso Deus nos ama! Nem outros seres humanos: políticos, poderosos, astros ou estrelas de TV, demais pessoas, até mesmo nossos amigos e familiares – todo amor humano é limitado, só o amor de Deus é infinito! Nem bens materiais: deuses de outras religiões, planetas do horóscopo, dinheiro, riquezas, terras, bens – toda segurança terrena sucumbe, só nosso Uno e Trino Deus assegura para sempre nossa existência! Nem prazeres: sexo, drogas, alimentação, TV, diversão, esportes – todo prazer terreno pode escravizar, somente Deus nos dá prazer eterno.  Não há deus como nosso Deus. Ninguém nos poderá fazer felizes como Ele nos faz.

Terá alguém experimentado um amor maior do que este?

 

“…inefável mistério…” (Oração do dia)


Não! Ninguém jamais pode experimentar um amor maior do que este!

 

Um amor que é mistério porque não cabe nas palavras humanas. É mistério porque, em primeiro lugar, deve ser visto, falado, contemplado com muito respeito, pois não nos pertence. Celebramos a revelação de uma intimidade de Deus. E que Deus mesmo levou milênios para mostrar. Nós mesmos jamais poderíamos descobrir tal mistério, pois é impensável. Não é obra de nenhum teólogo, de nenhum santo padre, de nenhum grupo de estudos. É mistério revelado; mistério que nos diz: DEUS É COMUNHÃO DE PESSOAS – DEUS É TRINDADE – DEUS É AMOR COMUNITÁRIO!

E se é mistério, deve primeiro ser amado, louvado e reverenciado. Nós, ocidentais, temos a mania de tudo querer explicar! Hoje não é dia pra isso! Não procure, amigo Sentinela da Manhã, entender o “quebra-cabeças do 3 em 1”. Celebre o imenso amor de Deus, que revela sua profunda comunhão conosco e nos faz partícipes desta mesma comunhão. Celebramos a novidade de ter UM DEUS QUE É COMUNIDADE DE AMOR.

“Acolhe-nos como propriedade tua” (Ex 34,9)


Não! Ninguém jamais pode experimentar um amor maior do que este!

Um amor tão grande que nos abarca totalmente! Até mesmo em nossa mais terrível fraqueza! E Moisés é testemunha disso! Ele o chama “Deus misericordioso e clemente, paciente, rico em bondade e fiel”. (Ex 34,6). Essa prece aconteceu logo depois de o povo ter traído o Senhor construindo um bezerro de ouro e adorando-o como um deus. Moisés confia na misericórdia de Deus, que não falha e nem abandona o povo pecador, mas perdoa-o.
 

E este é um dos pontos fundamentais da pregação de Jesus! DEUS É PAI. Não é um Deus distante, mas um Deus conosco, um Deus fiel, um Deus que se preocupa com seus filhos. E preocupa-se tanto que não quer estar distante, mas quer ser presente, ser presença. E nos toma para si… E ao fazer isso, assume nossa fraqueza, nossa pequenez e se faz HOMEM. Ser humano como nós, em tudo igual a nossa humanidade. É o Deus Conosco – Emmanuel: JESUS CRISTO. Ele nos salvou assumindo nossa dor na cruz, e ao ressuscitar dos mortos nos elevou consigo ao mais alto dos céus. E para perpetuar na história essa sua salvação, quis permanecer sempre conosco, apesar de não estar mais aqui com seu corpo glorioso. Para permanecer, deixou alguém… Alguém que pode estar em tudo, porque é autor de tudo. Alguém que derrama o amor de Deus porque é o próprio amor de Deus: o ESPÍRITO SANTO. Ele é o elo de união entre o Pai e o Filho, por isso nos une em si e nos leva consigo pra dentro da comunhão trinitária e nos faz partícipes da vida de Deus. Temos um Deus que nos tomou para si como propriedade sua. Somos dele. Ele nos abraça e nos envolve por detrás e pela frente. É O DEUS COMUNHÃO, QUE NOS CHAMA À COMUNHÃO E NOS FAZ COMUNHÃO…

Para sermos como ele…


Não! Ninguém jamais pode experimentar um amor maior do que este!

 

Porque o mesmo Deus que nos ama, nos transforma em amor com Ele! Ter como Deus a Trindade Santa é um dom e uma tarefa! Se Deus é Comunidade de Amor, tudo o que vem dEle – toda a obra da Criação – é também Amor. Na verdade, AMOR EXIGE AMOR. O Discípulo de Jesus – você, Sentinela da Manhã – deve refletir em seu rosto as MARCAS DA TRINDADE!

E nosso Deus Uno e Trino é RADICAL UNIDADE: ou seja, nele tudo é uno! O discípulo de Jesus é promotor de unidade. Jamais exclui alguém por ser diferente, por pensar diferente ou até mesmo por crer diferente. Não precisamos concordar com todo mundo… Mas precisamos amar a todos, independente de como pensem ou se comportem. Chega de divisões na Igreja, entre os cristãos e no mundo. Deus nos convida a uma colaboração cada vez maior a fim de dirimirmos nossas divisões!

Mas nosso Deus é também RADICAL DIVERSIDADE: ou seja, nele há total pluralidade. O discípulo de Jesus é o valorizador da riqueza, da pluralidade e da diversidade. Jamais procura fazer dos outros uma cópia de si mesmo! Chega de radicalismos e de unilateralismos em nosso meio. Na Igreja há lugar pra todo mundo. Por isso ela é católica. Como é triste perceber comunidades cristãs que se fecham a este ou aquele movimento eclesial ou nova forma de vida cristã. Deus é plural, a sociedade é plural, por isso também a Igreja deve ser plural. É a marca do Deus Trindade deixada nela!

Reunidos para celebrar um amor que não tem fim! 

O mistério da Trindade não pode ser entendido, mas pode ser adorado. Na Eucaristia celebramos o amor de Deus que nos toma para si e nos salva. Glorifiquemos nesta Eucaristia e na nossa vida o profundo amor de Deus que se revela PAI E FILHO E ESPÍRITO SANTO. GLÓRIA AO PAI, AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO COMO ERA NO PRINCÍPIO AGORA E SEMPRE. AMÉM!

PE. ALEXSANDER CORDEIRO LOPES
Vice-Reitor do Seminário São João Maria Vianney
Assessor do Setor Juventude Curitiba

Deixe um comentário

Solenidade de Pentecostes – “RENASCIDOS NO ESPÍRITO”


                                             

SOLENIDADE DE PENTECOSTES

12.6.2011

Leituras

1ª Leitura – At 2,1-11

Salmo – Sl 103,1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

2ª Leitura – 1Cor 12,3b-7.12-13

Evangelho – Jo 20,19-23

As respectivas leituras bíblicas podem ser obtidas em:

http://www.cnbb.org.br/liturgia/app/user/user/UserView.php?ano=2011&mes=6&dia=12

“RENASCIDOS NO ESPÍRITO”

Quando se capricha na reforma de uma casa antiga, mudando totalmente sua fachada, costuma se dizer que ela ficou como nova. A esse respeito, lembro-me também do tempo em que a compra de um sapato novo era onerosa e a gente optava por levar o velho ao sapateiro, que colocava meia sola, passava uma tinta, dava um brilho e quando ia buscar, era como se fosse um sapato novo. E um último exemplo: um dos carros que tive foi uma Brasília, que em certa ocasião mandei fazer uma reforma caprichada e ao sair com ela da oficina, dizia orgulhoso que ficou “novinha em folha”. Nesses três casos, a palavra NOVA é apenas força de expressão, pois a casa, o sapato e a Brasília, continuaram velhos, apenas com aparência de novos. O que o Espírito de Deus realiza em nós, não é uma reforma de fachada, não somos uma casa velha reformada, mas nele somos recriados, renascidos e renovados, passando a ser realmente novas criaturas porque “estamos em Cristo” (1 Cor 5, 17-21).

Quando o homem toma conhecimento dessa verdade, fica confuso como Nicodemos, que perguntou a Jesus como é que podia um homem, sendo já velho, nascer de novo e se era necessário entrar novamente no útero materno. Nas leituras da missa da vigília, e do domingo de Pentecostes descobrimos que esse renascimento e essa renovação não dependem do homem, mas é iniciativa de Deus. Quando celebramos Pentecostes estamos na verdade celebrando o renascimento de todo gênero humano, a renovação de toda humanidade, onde o homem, consciente e crente desta renovação, se une a seu Deus e aos irmãos em comunhão perfeita, na Igreja, que é o Povo da Nova Aliança, a Assembléia ou a reunião dos que crêm e vivem segundo o Espírito, vivenciando um amor que se traduz em serviço, impelido pelos carismas.

Igreja não é um grupo fechado e particular que têm exclusividade sobre o Espírito Santo, monopolizando seus dons e carismas; o Espírito é derramado sobre todos e não canalizado para alguns em particular como pensam algumas correntes religiosas. Todos os textos que ilustram essa Festa de Pentecostes, da missa da Vigília e da própria Festa, não deixam margem para dúvidas a esse respeito. “Derramarei o meu Espírito sobre todo ser humano” – (Joel 3, 1) “todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o espírito os inspirava. Moravam em Jerusalém, judeus devotos de todas as nações do mundo, quando ouviram o barulho, juntaram-se à multidão e cada um os ouvia falarem em sua própria língua” (Atos 2, 4-5). Através do seu Espírito que é único, Deus se comunica com todos os homens no pluralismo de valores, de culturas e religiões, em uma única linguagem!

No espírito descobrimos que somos todos iguais embora queiramos parecer diferentes. Se atendêssemos aos apelos do Espírito, derrubaríamos por terra todas as barreiras que nos separam e homens de todas as nações, culturas e religiões, iriam se dar às mãos e em uma única voz cantariam um único louvor, ao único e verdadeiro Deus, reunidos em uma única Igreja que já não seria mais este ou aquele templo, esta ou aquela denominação religiosa, mas sim as entranhas do homem. Eis aí algo esplêndido que Pentecostes nos revela: nascemos de novo e nos renovamos porque Deus em seu Espírito Santo entra em nós. “Nossos ossos estavam secos, nossa esperança havia acabado” texto que em Ezequiel 17 mostra não só a situação de um povo que tinha perdido a sua identidade de povo de Deus, mas da própria humanidade, que sem Deus não consegue sonhar ou esperar nada de bom, mas só tem pesadelos; e neste mesmo texto vemos a maravilhosa profecia “Porei em vós o meu Espírito para que vivais… e os anciãos voltarão a sonhar, e os jovens profetizarão”. Isso significa que todos, jovens e velhos, poderão esperar algo novo, uma nova e feliz realidade.

Essa possibilidade se concretizou ao anoitecer daquele dia, quando Jesus soprou sobre a comunidade dos discípulos, concedendo-lhes o dom da paz e o seu próprio Espírito. Precisamente ali surgiu a nova humanidade, em uma Igreja que na força do Espírito Santo perdeu o medo, abriu suas portas que estavam fechadas e saiu em missão para anunciar a todos os homens essa verdade: que o Espírito do Senhor nos renovou, que em todos os homens a graça é maior e mais abundante que o pecado. E quando todo homem olhar para dentro de si e tomar consciência dessa verdade, de que é uma Igreja ambulante porque o Senhor habita nele em Espírito, então passará a produzir os frutos doces e saborosos da caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, lealdade e mansidão. Você já fez essa experiência?

                                                                                             José da Cruz é diácono permanente
da Paróquia Nossa Sra. da Consolata-Votorantim

e-mail: cruzsm@uol.com.br

Deixe um comentário

PÁSCOA: FESTA DO MOVIMENTO

 

“PÁSCOA: FESTA DO MOVIMENTO”

 

É Páscoa! Levantemo-nos!

Os judeus celebraram a Páscoa Judaica, a passagem da escravidão para a liberdade com roupa de viagem. Não puderam nem esperar o pão crescer, porque a hora era aquela: ou conquistavam a liberdade ou morreriam na escravidão.

A comunidade joanina também não podia parar. Duramente abatida por uma perseguição mundial lançada no final do primeiro século pelo Império Romano e pelos judeus não cristãos contra os cristãos, a comunidade amada precisava correr a favor da vida.

Maria Madalena foi ao túmulo chorar, ainda na escuridão, e a pedra já havia sido retirada. Ela saiu correndo para encontrar Pedro e João: a Igreja tradicional que vem de Jerusalém e a juventude da comunidade da Ásia Menor (a comunidade de João). Ambos correram ao encontro do túmulo. A comunidade com espírito mais jovem chega primeiro ao local da ressurreição, mas espera a Igreja primitiva. A comunidade jovem viu e acreditou.

Nós precisamos ser também a comunidade jovem que corre quando sabe da notícia da ressurreição. Não podemos ficar parados! A Páscoa é a festa da passagem para uma vida de ressurreição que não pode esperar.

Há muitos sinais de morte entre nós. Mas nós, que vimos o Senhor vivo presente na Eucaristia e acreditamos, não vamos ficar parados diante dos nossos pecados e das nossas dificuldades.

Vamos correr com os apóstolos para anunciar a Ressurreição!

Levantemo-nos! Vamos ao encontro das pessoas que amamos para lhes desejar: FELIZ PÁSCOA! Vamos ao encontro de todos para testemunhar que a vida é mais forte que a morte!

“Este é o dia que o Senhor fez para nós! Alegremo-nos e nele exultemos!”

Contribuição de José Luiz Garcia

Serviço Bíblico-Litúrgico Católico
Gotas da Palavra

Deixe um comentário

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 3 outros seguidores

  • Postagens & Páginas mais populares

  • Visitantes

    • 2,861
  • Tags

  • setembro 2017
    S T Q Q S S D
    « jun    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  
  • IGREJA VICARIAL

  • Belo Campo

  • Cândido Sales

  • RSS Feed desconhecido

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • Mais Acessados

    • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: